quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

DE MOLHO NO NATAL

Faltam dois dias para o natal. E eu ainda não entrei no clima. Na verdade nunca gostei do clima de natal. Pelo menos não desse clima frenético de vai e vem de compras, de engarrafamentos de gente e carros nas ruas e em shoppings, de entrar em filas imensas para TUDO!
Definitivamente esse não é o meu natal.
Meu natal é o de ficar em casa com a família e os amigos, de comemorar o amor e a amizade. Meu natal é o da solidariedade. O de estar em sintonia com os bons sentimentos e a alegria de estar encerrando mais um ano. O meu natal é o da reflexão. Não da reflexão depressiva que leva muitos à tristeza e à melancolia. Mas o da reflexão positiva que nos leva à tentar acertar mais. Enfim, meu natal é o natal da paz e do amor.
Neste natal estou de molho. Como meus insanos e amados leitores sabem, estou me recuperando de uma cirurgia para a retirada do útero e estou passando muito perrengue em ter que ficar limitada ao leito. É verdade é que já andei saracoteando por aí. Mas, sinto que não estou fazendo a coisa certa. Para mim é muito difícil ficar parada sem poder ir e vir, tendo que pedir as coisas para todo mundo o tempo todo. Fico irritada! grgrgrgr
Esta siutação está dificultando a minha conexão com esse natal de paz, amor e alegria que eu tanto gosto. Estou tentando. Mas confesso que não estou tendo muito progresso.
Pra piorar, estou na casa de minha mãe. Por "solicitação" dela, desde que voltei do hospital estou aqui com marido e filhas. E os conflitos de geração pululam a toda hora. Tentei argumentar que não seria bom ficar aqui porque aqui já tem um doente que é meu pai. Mas ela não se conformou. Como boa mãe, quer todos os seus filhos debaixo da sua asa, em especial qdo eles estão doentes. Assim, tive que me render.
Eu adoro minha família. Mas, gosto muito mais da minha casa.
Esse ano também não comprei nada! Nem uma lembrancinha pra ninguém. Além da falta de condições físicas, houve também a falta de condições orçamentárias...
Além da minha irritação com tudo o que está acontecendo, ainda tenho que driblar minha mãe que fica me empurrando comida à toda hora. É bolo de aimpim, picolé disso, mingau de milho e de tapioca e doces variados. Ô sacrifício!
Minha mãe está como o diabo gosta: no vuco-vuco da cozinha preparando a ceia natalina. E a toda hora vai ao supermercado ou à feira comprar algo que está faltando. E ninguém pense que é falta de planejamento. Ela gosta mesmo desse entra e sai. Tá feliz como um pinto no lixo. Mas essa movimentação toda me deixa estressada!
Ok... Todo mundo vai dizer que eu tenho que me alegrar por estar vivendo esse momento lindo familiar. Estou tentando, gente, juro!

Um comentário:

Divina disse...

Quelida, eu não vou dizer o que todo mundo diz! Sempre ADOREI fotografia - você bem sabe - então fófi, faz que nem eu: vem aqui em casa e vê toda a família - que eu amo - no porta retrato sácomoé? "Aqui é titia. Linda né? E o Mano? Olha só qu ehomem... Ah! Essa é a prima. E essa é mamãe de noiva! Um show né?" Fófi, família é perfeita em cima do piano...E se cuide. Quer visita? [vai ver o Divinas - Amélia matou]