domingo, 3 de agosto de 2008

JORJÃO, O BAO

Há algum tempo tenho vontade de comentar a movimentada vida sentimental, amorosa e sexual do meu amigo Jorjão. Jorjão é amigo meu desde muito tempo, quando chegou à Bahia, vindo do interior de São Paulo. Sem conhecer ninguém em Salvador, Jorjão parecia ser um cara quieto que não pegava ninguém. Pelo menos era o que eu pensava. Na verdade, Jorjão é um verdadeiro Don Juan de subúrbio que se metia (e ainda se mete) nas mais inacreditáveis enrascadas por um rabo-de-saia.
Não sei porquê, Jorjão me elegeu como sua conselheira sentimental. Talvez porque eu seja a única mulher que acredita que ele REALMENTE tem sentimentos. Para a maioria das mulheres, ele é o que se pode chamar de um cafajeste perfeito. Um sujeito à tôa. Mas, como todo cafajeste que se preza, Jorjão nunca tem menos do que duas mulheres de cada vez. E sempre uma é casada (não necessariamente com ele).
As histórias de Jorjão sempre me divertiram e ao mesmo tempo me intrigaram. Quando ele me liga pedindo conselho eu sempre procuro fazê-lo tomar juízo, mas como sei que isso é tempo perdido, acabo me divertindo com seus apuros e acho que ele se diverte com isso também. Quando digo que a vida sentimental, amorosa e sexual de Jorjão me intriga é porque ele é um cabra que desafia todas as leis da atração feminina: não é rico, não é bonito, não é malhado e só vive no bar. Nem carro o sujeito tem!
Sendo assim, como é que ele só vive enrolado com mulher? É ou não é um caso para estudos?
Jorjão é um MISTÉRIO! A mulherada (ex-namoradas, ex-amantes, ex-ficantes, ex-cachos) vive reclamando dele. Entretanto, sua ex-mulher (a primeira e que tem com ele o maior número de filhos) derrama-se em elogios para ele. Entretanto duvido que ela queira viver um flashback (vá entender um troço desse!). Especializado em divórcio, separações e pensão alimentícia, Jorjão é um cabra tão complicado que para ele criei um novo estado civil: EM TRANSITO.
De tanto estudar a movimentada vida sentimental, amorosa e sexual de Jorjão cheguei à conclusão de que talvez o mal dele seja o romantismo. Jorjão é um romântico incorrigível. Mais sentimental do que a música de Altemar Dultra. E a isso, mulher alguma resiste. Jorjão é um homem que se apaixona MUITO e sempre. O coração de Jorjão é um orgão independente que não tem freios ou limites. Se apaixona e pronto! Intependentemente da cor, do credo e do estado civil da criatura, Jorjão se apaixona. Politicamente correto, o coração de Jorjão não discrimina ninguém, exceto gays e travestis, afinal de contas, Jorjão é ESPADA. Nunca ninguém soube que ele tivesse se enrabichado por um rabo-de-saia que não fosse genuinamente feminino. Se bem que depois do que aconteceu com o Ronaldinho Fenômeno, estou ficando mais preocupada com o tamanho da encrenca que ele ainda pode arrumar.
O problema é que o coração de Jorjão não bate do lado esquerdo do peito, fica situado no meio das pernas e quando ele toma umas cervejas a mais (e isso acontece com muita frequência, incluindo sábados, domingos e dias santos), o bicho pega! Por causa disso, muitas vezes, Jorjão já acordou em maus lençóis (literalmente) até porque a diferença entre uma beldade e uma bozenga é a quantidade de cerveja ingerida e isso Jorjão sabe muito bem por experiência própria. Mas, por um defeito de fabricação, a experiência adquirida não se transforma em anteparo para novas enrascadas. Fazer o quê né? Afinal, ninguém é perfeito!

2 comentários:

Carlão de Oliveira disse...

Quero declarar a bem da verdade que qualquer semelhança de Jorjão com pessoas vivas, mortas ou ameaçadas pelo corno de morte terá sido mera coincidência. Declaro também que Jorjão, apesar do som parecido, nada tem em comum com o santo Carlão, conhecido como Carlãozinho da Bahia.

Arnild disse...

Jorjão é boca de 09, kkkkkkkk!