domingo, 16 de dezembro de 2007

ENTRE NÓS, O NATAL SE FARÁ!

Eu sei que estive meio sumida, mas é que tenho andado com as mãos ocupadas em carregar as sacolas neste natal sem CPMF... Também teve uns dias em que fiquei fora de combate em função de uma ressaca provocada por umas comemorações a mais... Fim de ano, sacumé, né... É festa TODO DIA! Então tava difícil arrumar um tempo para entreter a minha meia dúzia de insanos e desocupados leitores, que, se forem como eu, também nem repararam no meu sumiço porque estavam igulamente ocupados, uns em carregar as sacolas do natal, outros em comemorar e bebemorar o fim do ano nas centenas de confraternizações agendadas e não agendadas. Pois bem, amigos, estou sobrevivendo a mais um natal. Até agora a árvore de Natal Godzila do Iguatemi e o Papai Noel King Kong não me pegaram. Até pararam de me perseguir nos sonhos.... E eu me entreguei, sem maiores resistências ao clima acelerado e frenético do fim de ano. O meu cartão de crédito é uma NAVALHA!!!


VAMOS NOS PERMITIR...


Minha filha Carícia e seu colega Ville, na cerimônia de conclusão do ensino médio no ISBA.
Este fim de 2007 tem um sabor especial para mim, porque estou prestes a deixar de pagar escola para a minha filha mais velha (ainda bem que meu ex-marido não lê O Faniquito, senão ele era bem capaz de querer reduzir o valor da pensão que já é uma merreca). E, tenho que reconhecer, que isso muito me agrada e que é muito bom ver os filhos crescerem.

Semana passada, fui à cerimônia de conclusão do Ensino Médio da minha filha mais velha (linda na foto acima). Para uma pessoa avessa à solenidades convencionais, confesso que foi mais um sacrifício feito em nome da maternidade. Desde o início do ano, quando ela me informou que iria haver no fim do ano uma solenidade desse tipo, fui logo torcendo o nariz... No meu tempo num tinha esse negócio de "formatura do ensino médio", até porque, comemorar o fim do ensino médio (o antigo 2º grau), não fazia sentido, já que este não prepara a pessoa para coisa alguma! No Brasil, uma pessoa com certificado de conclusão do 2º grau, significa apenas que ela é uma pessoa minimamente alfabetizada.

Hoje em dia, continua assim, se não estiver pior. Mas a galera inventou essa solenidade (para a alegria e felicidade dos fotógrafos e cinegrafistas de festas e eventos familiares). É mais um rito de passagem, do que qualquer outra coisa. Sem alternativa, me jogei no papel de "mãe de formanda" que imaginava ser algo parecido como "mãe de miss". Afinal, percebi que era uma coisa importante para a minha filha e aos poucos fui percebendo que aquele era um rito de passagem não só para ela, mas também para mim.

Chegamos ao pátio do ISBA na hora marcada: 18h, em ponto! Coisa rara para mim, que estou sempre chegando atrasada e esbaforida pela vida a fora. Aí é que a ficha foi cair... Meu orelhão de ficha completou a ligação. GAME OVER, BABY! De repente, olhei em volta e lembrei de 1979, meu último ano naquele colégio. Pouca coisa tinha mudado naquele cenário. Exceto eu, vários anos e quilos a mais. Até hoje não sei explicar direito os sentimentos que me vinham. Mas tenho certeza que não eram de tristeza, remorso ou arrependimento. Era uma emoção diferente... Uma nostalgia, misturada com alegria... Uma senação que lhe diz Pô, o tempo voa!!! Uma constatação tão verdadeira quanto idiota.
Naquele momento eu comecei a entender que eu fazia parte daquele negócio todo. Não só por ter estudado no mesmo colégio que ela, mas porque eu fazia parte da história dela... O pior momento foi quando uma sensação de orgulho me invadiu. CARACA! Se controla, criatura! Dizia para mim mesma internamente. Mas não parava de me orgulhar daquela criaturinha que estava concluindo uma etapa importante de sua vida, que eu havia botado no mundo há 17 anos.
Uma criatura que eu alimentei, acalentei, ensinei a andar, a falar... Cara! Ela já é uma mulher!!! Quando percebi que ia dar vexame, pagar mico, etc e tal, falei pra Milena, a minha filha caçula: Mi, corre no banheiro e pega uns lenços de papel pra mim ligeiro!... Ela não entendeu o porquê do pedido, mas foi. Quando ela voltou, eu estava em prantos... Entrei no personagem geral!!! E, querem saber? Foi MASSA!
Hoje o tempo voa, amor
escorre pelas mãos
mesmo sem se sentir
e não há tempo que volte, amor
vamos viver tudo que há pra viver!
VAMOS NOS PERMITIR...
Lulu Santos
e ainda bem que existem a música e a poesia em nossas vidas...

Um comentário:

Arnild disse...

Amigona,

Seu post tem tudo a ver comigo nestes dias. O tempo voa! Carícia foi a primeira das obras-primas que você presenteou a este mundo. E não será a última!
Em tempo: para mãe de miss nada lhe falta! Cacá é linda!
Beijos,
Nil